Orgasmos Múltiplos Masculino

Posted on outubro 19, 2008 por

25



Um ‘fenômeno’, conhecido há mais de três mil anos no oriente, ainda é novo, e até um tabu, para os homens do ocidente, mas existe e é possível alcança-los desde que haja uma certa dedicação dos homens a esse objetivo. Muitos estudiosos garantem que o homem que conseguir os orgasmos múltiplos dará um giro em sua vida e saúde sexuais.

Antes de chegar nos múltiplos devo falar sobre a diferença entre orgasmo e ejaculação, um pode ocorrer sem o outro, apesar de geralmente acontecerem simultaneamente, o que faz a maioria das pessoas acreditar que um não existe sem o outro, mas eu pergunto aos homens: já aconteceu de você ejacular e achar que não foi bom, que ficou faltando algo? Isso ocorreu porque você ejaculou mas não teve um orgasmo…


O orgasmo é a intensa sensação do prazer, o clímax.
Ejaculação é a liberação do esperma através do pênis.


É mais fácil acontecer a ejaculação sem orgasmo do que o orgasmo sem a ejaculação, porém é exatamente o orgasmo sem a ejaculação que é o ‘ideal’ para o homem, pois a ejaculação que dá ao homem a sensação de cansaço, fraqueza e o período refratário(tempo que o homem necessita para poder ter uma nova ereção), já o orgasmo sem ejaculação permite que a sensação de prazer se estenda por mais tempo, reduz ou acaba com a ejaculação precoce, e aumenta o prazer da mulher.
Os praticantes do Tao e do Tantro conhecem exercícios que permitem ao homem chegar a esse ideal, a separação da ejaculação e orgasmo e, consequentemente, levá-los ao ‘orgasmos múltiplos’, que nada mais é do que a sequência ineterrupta de vários orgasmos.

Primeiro passo: fortalecer os músculos da pélvis.

– parar o fluxo da urina (quando estiver urinando, pare o jato e libere o jato por várias vezes).

fazer movimentos de subir e descer com o pênis ereto, somente através dos músculos da pélvis.

– contrair todos os músculos pélvicos, inclusive o ânus. Deixá-los contraído por uns 20 segundos e depois relaxá-los por 1 minuto. Repetir essa série por dez, vinte, trinta vezes, ou a maior quantidade de vezes possível.

– contrair toda a musculatura pélvica o máximo de tempo possível, algo em torno de três a cinco minutos, ou o quanto for possível.

Estes são alguns exercício práticos e conhecidos, que podem ser feitos em qualquer local e hora, e diariamente. O desenvolvimento é gradual, e o homem sentirá efeitos de uma musculação comum como tremedeiras, queimação, etc. Só com o tempo, e com a prática, que serão observadas as melhoras.

Observação: os exercícios e a relação sexual não devem ser executados quando a bexiga estiver cheia, pois isso facilita a ejaculação.

É importante fortalecer a musculatura pélvica, principalmente entre os testículos e o ânus, pois é por ali que passa o esperma durante a ejaculação, e, se o músculo estiver forte e contraído, a passagem será bloqueada, não havendo ejaculação, no entanto, sem bloquear o orgasmo, ocasionando prazer e, ao final, não havendo necessidade do tempo refratário, podendo o homem seguir com o coito.

Após os exercícios, vem o segundo passo: o treino.

O treino deve ser feito inicialmente com a masturbação.

Os homens ao ser masturbarem já devem ter percebido que às vezes ejaculam quase sem sentirem tesão, e em outras, o tesão vem segundos antes da ejaculação, e é aí que está o principal, saber fazer com que esses segundos de tesão aumentem gradualmente, até que não haja mais ejaculação.

O treino consistirá em duas etapas: a primeira será em segurar ao máximo o tempo de tesão sem ejacular, porém não havendo orgasmo também; a segunda será em expandir a musculatura pélvica, evitando a ejaculação e tendo o orgasmo.

Primeira etapa

Em uma posição e local que te deixem relaxado, masturbe-se até o ponto em que sentir-se próximo ao orgasmo,nesse momento pare a masturbação e contraia a musculatura, da maneira em que aprendeu com os exercícios, após perceber que não irá mais ejacular, volte a se masturbar, repita isso quantas vezes puder até que, na última, não contraia os músculos e goze.

Alguns homens garantem que só com isso o prazer é maior do que se fosse logo na primeira sensação de gozo.


Segunda etapa

A mais complicada, e a que poucos homens ocidentais conseguem fazer.

Nessa etapa, quando sentir-se próximo ao orgasmo e contrair a musculatura, continue a masturbação ao mesmo tempo em que para de contrair a musculatura, e passe a expandir os músculos da mesma forma em que faz para liberar a urina(lembre-se de estar com a bexiga vazia), e não ‘segure’ a sensação do gozo, nem pare de se masturbar. Isso fará com que a próstata não fique pressionada permitindo que não haja pressão para a saída do sêmem, mas você terá as sensações do clímax.

Leva-se tempo para conseguir fazer todo o processo com êxito, pois é preciso de muito treino para se ter o equilíbrio dos momentos de contrair e expandir a musculatura, obtendo o orgasmo sem a ejaculação.

Obs. matéria do blog antigo.

Anúncios
Posted in: Sexologia