Os porquês da vida…

Posted on junho 17, 2009 por

5



Quem nunca se embaralhou e quase enlouqueceu (que dramática) na hora de decidir se deveria usar “por que”, “por quê”, “porque” ou “porquê”?

Tentareis expor de forma sucinta e fácil quando se deve usar cada um dos porquês nosso de cada dia.

“Por que”

Devemos usá-lo:

  • Em início de frases interrogativas.

Por que você não veio ontem?

  • Sempre que as palavras “motivo” e “razão” estiverem subentendidas ou expressas.

Ninguém sabe por que (motivo) ele saiu de repente.

  • Quando puder ser substituído por um pronome relativo (pelo qual, por quais, etc).

Não sei por que razão ele foi embora sem se despedir.

  • Ou ainda quando indicar finalidade, equivalendo a “para que”, ” a fim de” – dificilmente usado.

Todos brigamos por que haja maior justiça social.

Porque

Usamos quando:

  • Estiver equivalendo a “pois”, “já que”, “uma vez que” (causa).

Ele foi embora sem se despedir porque estava sentindo-se mal.

Por quê

Usa-se:

  • Somente no final de frases interrogativas. –

O supervisor te demitiu por quê?

Ainda não foi embora? Por quê?

Porquê

Usaremos:

  • Quando substitui as palavras “motivo”, “razão” e normalmente acompanhada do artigo “o” ou do “um”. Por ser um substantivo, ele deverá ser pluralizado quando necessário.

Não foi fácil achar o porquê do problema.

Dê-me ao menos um porquê para sua atitude.

Esses são os porquês da vida.

Gostou? Então comente!

Nota: poste dedicado ao leitor André que solicitou no Cantinho do Leitor.

Quer ler sobre algoespecífico  aqui? Peça também!

Anúncios